Mais Populares

27 de julho de 2014

A corrupção da informação digital

A liberdade de expressão é algo que possivelmente ficará na memória daqui alguns anos. A censura e muitos artigos na internet neste ano em meio à copa, nos dizem que o direito de resposta e o desejo de justiça estão sendo mantido calados e sem ninguém perceber, os políticos estão tampando nossa boca, e também bloqueando sites, postagens de comunidades no facebook, censurando fotos do Neymar no hospital sem tatuagem (e, que recuperação rápida foi aquela?), enfim, isto não é site de especulação política nem futebolística, mas o que pode vir pela frente?


A censura nos e-mails, conexões de dados dos usuários, não são itens que estão à toa. Vemos o caso da NSA há algum tempo acusada de investigação secreta nos dados de servidores de todo o mundo, e um suspeito erro no protocolo do SSL, que provam que a Internet é realmente por sua vez um ambiente totalmente inseguro e, podemos chegar à dizer, totalmente manipulado conforme interesses de determinadas pessoas.

O site no-ip.com foi um dos sites que tiveram alguns de seus apontamentos gratuitos para usuários clientes do serviço bloqueados por uma ordem judicial à pedido da Microsoft, alegando uso de malware e adware pelos endereços. A equipe do site ficou pasma pois nunca receberam tal notificação pelo canal aberto deles com a Microsoft, e possuem todos os sistemas para remoção de endereços de usuários que abusam do serviço. Do dia para a noite, o serviço parou de funcionar.

Se já ouviu falar, existe uma internet crescente à cada dia totalmente criptografada sobre a atual internet, e, não limitam-se à um único sistema, existem várias destas redes em todos os lugares mas não deixa de ser mais famosa a rede Tor e i2p.

Um site dentro destas redes não são identificáveis por um endereço IP, mas sim por um node que retransmite a informação original por vários nodes, porém cada node pode modificar a mensagem, criptografar e retransmitir determinada informação sendo praticamente inviável conseguir traçar a rota origem x destino completa.

Ao acessar redes deste tipo, você permite que uma porcentagem do uso de sua própria internet vire um servidor de troca de dados na rede, em troca você navega também dentro do recurso criptografado, e a sua conexão de internet passa à trafegar apenas pacotes criptografados para endereços IPs diversificados pelos mais diversos clientes e nodes na Internet, pois agora cada cliente é também um servidor de troca de dados.

Um grupo de pesquisadores está estudando uma mudança no protocolo IPv6, onde irá tratar a retirada de sequenciamento de informações do cabeçalho TCP. Isto ajudará a aumentar a velocidade de internet pois agora os roteadores na internet poderão manter partes dos dados, interceptar e retransmitir para seus destinos.

Expandindo este nível para a rede mundial, talvez em breve teremos um fenômeno em que clientes só poderão se conectar à servidores devidamente registrados, e não mais livremente para qualquer máquina em qualquer lugar, este seria de fato a única forma de restringir a comunicação destes tipos de rede, que baseiam-se no protocolo P2P (peer to peer) ou de pessoas para pessoas.

De momento, este cenário está bem longe de ocorrer, pois custos de firewall pelo mundo ainda são muito altos, afinal, todo tráfego de dados ser interceptado, gera processamento, e backbones trabalham em níveis altos de dados, na casa de 20 Gigabits por conexão entre os países em cabos subaquáticos ou terrestres.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e curta Tutorial TI no facebook!