Mais Populares

25 de março de 2009

Tirando dúvidas sobre redes 3G



A tecnologia 3G tem feito com que 60% da população brasileira tenha acesso a internet que poucas vezes chega a uma velocidade extremamente melhor que conexão discada em determinados momentos. A tecnologia mesmo, que se chama HSDPA, em níveis técnicos, suporta a transmissão de arquivos em até 24 Mbps. Mas então, o que ocorre que esta rede 3G ser tão lenta?

O que vem acontecendo é que no Brasil, hoje temos apenas 2 backbones, e são eles os responsáveis por transmitir tudo o que é acessado na internet, mesmo que seja um computador de seu vizinho via P2P, necessita que estes pacotes passem por estes backbones. Isto acontece porque a internet, é uma rede onde tudo o que é acessado, passa por Miami nos EUA, não exatamente os arquivos, mas sim, os pedidos das URLs são enviados, ou seja, quando você digita o www.google.com.br na barra de endereço, a internet são sabe o que é isto, e isto é traduzido em endereço IP. Ao fazer o pedido, repare que até demora alguns segundos para a página começar a carregar, isto acontece, basicamente porque está sendo enviados pacotes para fora do Brasil.
Temos 2 backbones, um pertence a Telefônica, que mal quer dar informações sobre suas funcionalidades e como é mantido, e o outro da Intelig, que possui conexão dedicada de 17 Gbps, possuindo imensos mainframes com aplicativos de proxy transparente, para armazenar os conteúdos mais acessados, principalmente imagens e fotos, vídeos, entre outros, atendendo uma pequena quantidade de clientes pessoa jurídicas, através de ADSL ou fibra ótica, sendo a maioria, São Paulo e Rio de Janeiro.
Provedores de internet, precisam ser ligados a um destes dois backbones, para que consigam atender a vários clientes, já que a velocidade da internet influencia no nome da empresa propriamente dito.
Bem, explicando melhor como funciona então, devolta ao 3G. As redes 3G possuem capacidades de transmissão muito superiores das velocidades oferecidas atualmente, e realmente, dependendo de seu modem broadband, pode chegar a seu aparelho se comunicar com a ERB (Estação Rádio Base)mais próxima nesta velocidade, mas o link de dados que trafegam os dados, são os mesmos utilizados atualmente para tráfego de voz.
Ou seja, se cada vez mais pessoas adquirirem celulares e fizerem ligações ou receberem ligações, sua velocidade de internet 3G será reduzida um pouco mais, devido a maiores tráfegos de dados.
Muitas pessoas, rapidamente buscando no Google, ensinam maluquices para colocar antena para pegar melhor o sinal 3G, o pior é que elas não sabem, a rede 3G tem a capacidade de funcionar fluentemente e tranquilamente mesmo no menor nível de sinal, devido a sua criptografia e sua segurança, trafegando não sons, mas pacotes comutados, ou seja, são enviados vários pacotes de informações em um único pacote comutado de informação. Você consegue perceber isto ao enviar um arquivo bem pequeno para qualquer lugar, ou fazer um download de um arquivo bem pequeno, ele chega em milésimos de segundo, sua velocidade chega aos 100 Mbps, mas isto é apenas para arquivos extremamente pequenos, menos de 60 Kbytes.
No horário da madrugada, várias redes 3G se comportam de maneiras diferentes, ou seja, são extremamente mais rápidas do que no horário de pico.
Atualmente, fiz um teste com a minha rede 3G as 2 horas da manhã, 3 horas, 4 horas, 5 e 6 horas da manhã, e o melhor horário foi as 4 horas da manhã, onde a velocidade pelo speedtest.net comprovou em vários servidores, uma média de 600 kbps (num plano contratado com velocidade de 250 kbps).
O nível do sinal não é completo, é fraco, mas não é crítico, mas vejamos que ultrapassa a velocidade contratada em quase 3 vezes, e isto comprova que também, as operadoras não tem um controle perfeito de velocidade para seus clientes, e que a rede suporta esta velocidade, quando não tem ninguém utilizando.
No horário do dia, temos pessoas falando ao celular, pessoas ligando mesmo para centrais de atendimento, números 0800 ou ligando à cobrar, isto é o mais comum, e são maneiras que influenciam no tráfego de dados também, além de que: vamos supor que uma ERB tenha uma internet dedicada (1 Mbps custa em média R$ 1200,00 aqui no Brasil) disponibilizando praticamente 100 clientes celulares para acesso Wap ou Html para seus computadores. A velocidade de 1 Mbps será dividida exatas para cada um dos 100 clientes. Se 99 ou 98 clientes pararem de utilizar, 1 ou 2 pessoas vão ter acesso entre 512 kbps e 1 Mbps respectivamente. Isto é uma lógica matemática, ou seja, se os mesmos 100 estiverem em ligações ou na internet, o consumo médio de cada um será de meros 11 kbps, que para voz, isto é mais do que suficiente, mas para dados, é 4 vezes mais lento que internet discada.
Como melhorar o 3G? Simples, apenas melhorando o link dedicado das ERBs, aumentando a segurança, e instalando aplicativos de proxy-transparente para armazenar conteúdos mais pesados mais acessados. Simples assim.
Mas até pensarem nisto, já saiu a Internet via PLC (Power Line Communicator (Comunicação de dados via energia elétrica)).

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e curta Tutorial TI no facebook!