10 de março de 2019

AMD em frente, e avante!

A AMD nestes últimos meses, tem lançado novas versões de seus processadores da linha Ryzen que tem feito estremecer com o mercado. Quem tem processador Intel, desconfia. Quem não tem ainda, olha atendo o desenrolar da situação, e quem tem um processador AMD, diz que não deixa na mão em nada.



E a AMD irá lançar ainda no segundo semestre de 2019, a terceira geração de processadores Ryzen, deixando a Intel comendo literalmente poeira, com um processador que pode ser o melhor do mundo, o Ryzen 9 3000 com incríveis 5.2 Ghz de velocidades reais com apenas 135 TDP.

Conheça mais sobre as linhas de processadores Ryzen, e a diferença entre Ryzen 3, 5, 7 e 9, e as suas gerações.

AMD Ryzen - AM4

A AMD lançou inicialmente 3 linhas:

- Ryzen 3: Voltado para competir com os processadores i3 da Intel.
- Ryzen 5: Voltado para competir com os processadores i5 da Intel.
- Ryzen 7: Voltado para competir com os processadores i7 da Intel.

Só que a Intel decidiu lançar um novo processador após estes lançamentos: Um Core i9.

Então a AMD, como se tivesse pronto para o contra-ataque, veio forte com o Ryzen 9, obviamente, para competir com o i9, deixando mais uma vez a Intel despreparada.

Então surgiram a segunda geração em 2018, então temos Ryzen 3 2000 e etc, Ryzen 5, Ryzen 7 e Ryzen 9, da segunda geração, ou também Ryzen 2000, baseados na arquitetura Zen+ de 12 nm.

Alguns dizem que não há muita diferença entre as gerações, mas várias placas-mãe por mais que suportem o socket AM4, só suportam a primeira geração, sem suporte para a segunda (e possivelmente sem suporte para a terceira geração).

Verificar a compatibilidade da placa mãe com os novos processadores mesmo que seja do mesmo socket com o fabricante é essencial para evitar problemas.

Nos novos cenários de processadores, teremos a arquitetura Zen 2 baseada em 7 nm, que é a menor litografia já criada.

Ryzen - Threadripper 

Os processadores Threadripper parece que vieram dos servidores para os consumidores comuns, e aparentemente é realmente isto que aconteceu. A popularização de plataforma confiável e de altíssimo desempenho, a custos baixos, muito mais baixos.

Alguns dizem que é nada mais que 2 processadores unidos, com sua pinagem separada para cada processador de fato, principalmente pela diferença de pinos para cada socket (4094 vs 1331) para comparativo ao AM4, e o nome do socket é bem fácil de decorar: TR4. (ThreadRipper 4).

Socket, placa mãe, e processador desenhados para tudo se encaixar, mas aparentemente pode ser uma plataforma voltada apenas para entusiastas, até mesmo porque a arquitetura Zen 2 de 7 nm também será usada na terceira geração.

Assim, temos uma linha paralela de Ryzen 3, 5, 7, 9 e Threadripper usando um socket específico para ele, e todos os outros usam AM4.

A principal diferença entre os 2 sockets, é que o TR4 deixa os pinos na placa mãe, igual aos processadores da Intel (AM4 ainda tem os pinos no processador).

O futuro da AMD

O futuro parece promissor, principalmente com as falhas de segurança recentes encontradas nos processadores da Intel e na tecnologia de predizer resultados, que fará todos os processadores da geração atual se tornarem lixo, sendo inúteis e risco de segurança, já que a falha de segurança está baseada em arquitetura, e pode ser explorada em ambientes sandbox e até ambiente virtualizado.

Sorte para quem tem infraestrutura com processadores da AMD, não é mesmo? Cremos no futuro da empresa e continuar entregando bons processadores aos consumidores, e para a linha de servidores.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e curta Tutorial TI no facebook!