Mais Populares

3 de março de 2015

Tendências do SSD

As empresas de SSD (Solid State Disk) divulgaram estas semanas notícias promissoras das novas unidades para este ano e sua prospecção de futuro para até 2017, e preços também mais próximos de HD convencionais.

Tudo começou quando a SanDisk informou discos de 4TB, 8TB e 16TB de capacidade, e em 2017 informam que os preços serão 25% dos valores atuais, chegando mais próximos ao custo dos discos rígidos mecânicos.

Para você que parou no tempo e não sabe do que eu estou falando, continue lendo e rapidamente irei explicar a grande diferença e benefícios de um SSD em questão de desempenho em um computador.

Todos os discos até o momento mais comuns em todos os computadores são os discos rígidos mecânicos, compostos por um disco com inúmeros filamentos de ferro presos em uma camada de disco e seu braço de leitura/gravação com um eletrodo magnético que conforme energizado recupera ou grava informações nos filamentos de ferro de forma magnética.

A capacidade dos dados nos discos se dá ao fato de os mesmos estarem extremamente compactados em pequenas áreas, e a luta dos fabricantes é em cada vez reduzir cada vez mais o espaço físico para armazenar mais terabytes por mm².

Disco Rígido (mecânico) de 4.0 TB da Western Digital


Entretanto os limites de tamanho físico e os limites da física chegam ao ponto em que reduzir muito um espaço físico, a qualidade de manter os dados seguros também podem ser prejudicados.

A Western Digital sacrificou parte de seu ECC (Área de paridade de bits de dados para correção de erros) dos dados para aumentar a capacidade de vários modelos de discos rígidos, para alcançar de forma concorrente aos discos de outros fabricantes com um custo mais baixo.

Apesar de aparentemente ter maiores riscos de perder dados com uma área de ECC menor, a WDC provou em testes que seus discos utilizam a área de ECC em uma frequência muito menor que discos dos concorrentes.

Comparativo da SanDisk para o futuro dos discos SSD até 2017.


A principal diferença do SSD é que ele não tem filamentos de ferro, nem braços de leitura/gravação, todos os dados ficam fisicamente no mesmo lugar e podem ser acessados de forma aleatória através de cirquitos integrados de memória, ou seja, não existe partes móveis.

De fato, internamente de cada chip de dados, há células de elétrons, onde a energia passa e as células são capazes de segurar elétrons ou não, e assim gravam-se os dados.

Você deve ter um pen-drive em casa, e se pergunta: Isto é o que há dentro dos discos de SSD? Sim, exatamente, porém com algumas mudanças.

O SSD trabalha com um chip adicional controlador de todos os outros chips de memória, e faz a distribuição síncrona dos dados entre todos os chips, e então um arquivo salvo de fato é sempre espalhado por todos os chips, e sua leitura ocorre da mesma forma.

Ao contrário do HD convencional que os dados sequenciais tem melhor desempenho, nos SSD não existem dados sequenciais. Todos eles sempre serão espalhados por todos os chips, e o chip controlador é responsável em determinar o sequenciamento das informações.

Isto seria como utilizar 10 pen-drivers em RAID-0 com taxa de transferência de 30 MB/s cada, o total de velocidade atingida será de 300 MB/s.

Hard Disk à esquerda e Solid State Disk à direita.


O SSD ganhou grande desempenho com este recurso, afinal utiliza um chip "lento", mas utilizando uma tecnologia conhecida há muito tempo, e embarcando e soldando na mesma placa, fez dele sucesso em questão de desempenho e de economia de energia.


Disco híbrido com promessa de ser mais rápido, evitar calor e resistência do ar usando gás hélio.


A vida dos discos rígidos mecânicos com estas novas notícias recentes podem ser abaladas, pois os limites físicos já fizeram com que empresas de HD começassem fazer discos híbridos, parte SSD e parte HD, ou até mesmo tecnologias de discos com gás hélio internamente para aumentar os discos internos e diminuir a resistência do ar.

Com os novos discos de alta capacidade em estado sólido, ganhará em performance, durabilidade e também em capacidade de armazenamento.



Vale ressaltar que: uma célula de elétrons, não mantém os elétrons para sempre ali. O chip controlador é responsável em verificar a saúde das células conforme seu tempo livre e recarregá-las com mais elétrons; mesmo assim ainda não é possível comparar ao HD mecânico, que por sua vez também tem setores danificados e são substituídos por setores no final do disco de forma transparente ao usuário.



Referências de consulta:

SanDisk Unveils World’s First 4 Terabyte Enterprise SAS SSD, <http://www.sandisk.com.br/about-sandisk/press-room/press-releases/2014/sandisk-unveils-worlds-first-4tb-enterprise-sas-ssd/>, acesso em 03/03/2015.

4TB of Capacity for Scalability and Faster Business Time-to-Results, <http://www.sandisk.com/enterprise/sas-ssd/optimus-max-ssd/>, acesso em 03/03/2015.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e curta Tutorial TI no facebook!