Mais Populares

15 de dezembro de 2016

Nokia desiste do Windows Phone, e promete celulares Android a preços muito baixos

A Nokia finalmente decidiu para 2017, encerrar a parceria entre a Microsoft e a fabricante de exclusividade no sistema operacional, que após o fracasso do Windows Phone, que causou enorme prejuízo a fabricante obteve nos últimos anos, lançar aparelhos Android com custo surpreendentes.

Os novos celulares já tiveram alguns valores revelados, alguns foram apresentados como lançamentos para 2017, como sendo celulares modestos, mas a Nokia afirmou esta semana que chegarão ao mercado com preço extremamente competitivo.

Antes desta exclusividade com o Windows Phone, a Nokia usava seu próprio sistema operacional para seus celulares, o Symbian, e poucos modelos tinham o sistema da Microsoft, limitado apenas aos melhores modelos da fabricante.


Mas nos últimos anos, a Microsoft perdeu muitos usuários de seu sistema operacional, até mesmo no mercado corporativo, e a falta de incentivos para desenvolvedores aliados a pressão do Google contra a plataforma, causaram a sua ruína em 2016.

Projetos mirabolantes para conseguir sugar aplicativos para Android para a plataforma do Windows Phone 10 em alguns celulares com pouca memória RAM, e funcionando de forma totalmente instável, causou revolta em muitos usuários, que decidiram fugir para o concorrente e usar seus aplicativos nativamente em sua própria plataforma.

O sistema operacional Android, apesar de ser também uma plataforma onde emula-se a Dalvik VM, e onde todos os aplicativos (inclusive a tela home, que é também um aplicativo) rodam, o Google e seus engenheiros trabalham arduamente para conseguir o melhor relacionamento entre hardware e a máquina virtual, tornando os aplicativos praticamente como se estivessem rodando diretamente sobre o hardware, e de fato, creio que muitas instruções são enviadas para serem processadas por hardware.

Contudo, o "teste" da Microsoft em trazer os apps do Android para o Windows Phone, que apesar de ser um sistema leve, ao sobrecarregar com a Dalvik VM, tornou um consumidor de memória RAM, justamente para aparelhos que não vinham com tanta memória RAM.

O Windows Phone tem seus benefícios, você pode ter um celular com hardware muito modesto e rodar muitos aplicativos, a plataforma é bem enxuta, fizeram um bom trabalho, mas a falta de usuários na plataforma e tentativas frustradas de conseguir rodar aplicativos de outras plataformas, com muitos celulares modestos nas mãos dos usuários (são poucos os celulares com mais de 512 mb de RAM, e em raros casos 1GB, enquanto que para emular a Dalvik com sucesso, seria necessário no mínimo 2GB livres de memória RAM, sem gargalos de tráfego entre processador e memória RAM) encerraram de vez o futuro do sistema da Microsoft.

Atualmente a Microsoft tenta seguir seu caminho ainda oferecendo uma solução de segurança para as empresas unindo a plataforma de e-mails Office 365 e Microsoft Exchange, e adoções de políticas de segurança para atender os critérios das empresas.

Na área de desenvolvimento de aplicativos, a Microsoft também tenta criar aplicativos baseados em PhoneGap (ou Apache Cordova), onde um único aplicativo pode ser útil em qualquer plataforma.

Porém nós sabemos que o Windows Phone, sem snapchat, sem versões atualizadas de aplicativos e principalmente com um "Instagram Beta" até hoje, não será atualmente uma opção para um usuário final.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e curta Tutorial TI no facebook!