Mais Populares

16 de agosto de 2014

A nova Deep Web

Sei, você caiu neste site por acaso e nem sabe o que é Deep Web? Vamos à um rápido entendimento sobre o assunto e o futuro do mesmo neste capítulo e então assim poderá saber mais sobre o que é e como utilizar a rede, assim como também conhecer o que há de errado acontecendo.



A Deep Web, ou A Internet Profunda

As profundezas do oceano são tão inigualáveis à da crosta terrestre, e assim também digamos que seja o que podemos dizer da Deep Web, é um oceano de muitos conteúdos, filmes, programas, e até mesmo sites, que não estão disponíveis na camada da superfície.

Para entender um pouco mais do assunto, recomendamos buscar neste mesmo site os termos: P2P, Tor.

Dizem em alguns sites que vemos apenas 15% de toda internet, outros se aventuram dizendo que o que temos disponível é apenas 10%, mas a realidade é que é impossível de calcular algo que não está mais sobre o nosso controle.

Até mesmo o oceano físico não pudemos explorar em sua totalidade, as redes P2P envolvidas no tráfego de dados entre nodes próprios, podem estar em qualquer lugar, em qualquer máquina, em qualquer lugar no planeta.

Atualmente existem aplicações para Compartilhamento de Arquivos (File Sharing) e Hidden Services até mesmo em celulares Android, e com a crescente expansão da Internet, controlar cada dispositivo é uma tarefa impossível de ser alcançada.

O conceito da Deep Web vem de conteúdos da internet não disponíveis em servidores centralizados e localizados em data-centers profissionais, mas sim espalhados por uma malha de dispositivos em todo o mundo, que pode ser desde um computador, um roteador ou até mesmo um celular.

Ao baixar arquivos através de softwares de BitTorrent, você de certa forma está trazendo um conteúdo da Deep Web, e contribuindo também para o seu crescimento, pois você também passará a fornecer parte dos dados que você baixou para outro cliente.

Provavelmente o site de onde buscou a referência esteja disponível online, mas o arquivo para download não. De fato o arquivo está espalhado em vários computadores no mundo todo, e, que existirá enquanto for popular.

Por isto calcular o tamanho da Deep Web é impossível, pois ela é totalmente volátil, os arquivos e conteúdos não estão lá para sempre, eles estão desde que os arquivos sejam populares.

A Deep Web possui várias camadas, muitas das pessoas só chegam à primeira camada e desconhecem as outras camadas. Vamos ver um pouco das camadas existentes, e, não limitando-se apenas à estas pois podem haver outras.

O primeiro nível da Deep Web: Redes de Compartilhamento de arquivos.

O BitTorrent, é digamos a primeira camada da Deep Web, é uma área ainda detectável mas conseguir tirar um arquivo do ar, já é uma tarefa impossível de ser realizada.

Um arquivo de torrent, encontra-se em várias máquinas pelo mundo todo, e são computadores de usuários que estão baixando conteúdos, e ao mesmo tempo estes estão enviando um para os outros.

Os arquivos são localizados através de trackers, que são servidores que armazenam as informações de partes dos arquivos e suas localizações atuais. Assim que um hash de torrent entra no tracker, ele tenta compartilhar as informações existentes dos torrents entre os hashs disponíveis entre eles e outros tracker servers, e assim os clientes de BitTorrent recebem blocos de endereço IP para realizar conexões e trazer conteúdos.

Se alguém publica um arquivo secreto, neste nível ainda é possível determinar quem fez isto, pois não há níveis seguros de compartilhar arquivos sem ser reconhecido.

Além do BitTorrent, existem redes de compartilhamento de arquivos, conhecidas como Gnutella, Emule, e outras. Geralmente cada rede destas tem um aplicativo cliente ou mais. Estas quais atualmente não são tão habituais e não são tão eficazes como os torrents, pois um grupo de arquivos ficava perdido entre vários arquivos.

Existem redes de compartilhamento de arquivos que possuem recursos para manter seus usuários anônimos, mas não são deste nível da Deep Web.

O segundo nível da Deep Web: As redes overlay.

Neste nível, inicia-se também a parte anônima dos recursos na internet, ou seja, os serviços aqui começam entrar no nível em que não podem ser localizados nem rastreados, pelo menos de forma fácil.

Isto porque as redes dentro da Deep Web, são chamadas de redes overlay, ou de forma amigável "rede sobre rede".

Uma das redes mais conhecidas é a rede TOR, seguida pela I2P, Freenet, e outras menos influentes.

Tanto a TOR como a I2P fornecem ao usuário que se conecta na rede, também uma proteção para navegar na internet com seu endereço IP obfuscado, ou seja, você recebe um endereço IP diferente para cada conexão.

Dentro da rede seu endereço de localização passa ser um apelido secreto, onde apenas a mesma rota de destino sabe sua origem, mas o node final nunca fica sabendo por onde se passou, como no caso da internet tradicional onde há como detectar o caminho dos pacotes usando ferramentas como tracert.

Com o Marco Civil da Internet, os provedores de acesso (Telefônica, NET, Intelig) não podem mais armazenar as informações das URLs que os usuários acessam (mas devem armazenar log de acesso à rede), mas os provedores de conteúdo (facebook, Google) podem e devem armazenar todo o acesso do usuário.

Se você acessa um conteúdo com endereço IP diferente do seu atual, você deixa de ser localizado, e isto garante de certa forma sua privacidade na rede.

Apesar destas redes serem de certa forma financiadas por institutos governamentais, há também órgãos do governo mundiais como a NSA e FBI que estão constantemente lutando para quebrar e conseguir rastrear onde está um hidden service ou rastrear quem é o responsável na publicações de conteúdos.

Vemos constantemente dentro da rede Tor, vários servidores de hidden services terem seus conteúdos suspensos pelo governo que conseguiu localizar os servidores dedicados e desativar seus serviços.

As pessoas podem ser detectadas nestas redes porém causadas por vários ataques. Recomenda-se manter sempre o software atualizado através dos sites oficiais para que não seja rastreado.

Certas dicas para não ser rastreado nestas redes:
- Desabilitar o Javascript: Tem sites criados pelas equipes de atacantes que através do Javascript descobrem qual o endereço IP real de sua máquina. No Firefox, about:config > javascript.enabled > false.
- Desabilitar o cabeçalho HTTP referer: Ao acessar um serviço, o navegador sempre entrega de onde veio determinado acesso, então o referer acaba sendo descoberto. No Firefox, about:config > network.http.sendRefererHeader > 0
- Usar DNS apenas dentro da rede: Por vezes o navegador deixa de usar o DNS do proxy da rede para usar a consulta da sua conexão com a internet. No Firefox, force o uso em about:config > network.proxy.socks_remote_dns > true.

Dicas gerais:
- Jamais usar dados reais como nome, e-mail, etc para acessar os hidden services.

O terceiro nível da Deep Web: As redes secretas e não detectáveis.

A Freenet é um conceito de rede de transferência de dados, baseando-se em uma técnica de compartilhamento de arquivos de forma anônima e restrita entre todos os computadores usando o aplicativo.

Existem dois modos de trabalho: Restrito aos computadores de seus amigos ou a forma menos insegura que é conectado à internet através de qualquer um que esteja usando este modo.

Ao contrário do TOR e I2P, esta rede não permite que você acesse à internet através dela.

Ao acessar a rede, é fornecido um endereço IP local em uma porta distinta, por exemplo: http://127.0.0.1:3467/ e nesta página inicial, você tem o que necessita para acessar a rede Freenet.

Ao iniciar o uso da rede, inicialmente ela é bem lenta pois precisa carregar cerca de 10 Gb à 20 Gb de dados em seu computador, geralmente isto ocorre nas primeiras 24 horas de uso da rede.

Como nesta rede não há servidores como na rede TOR, não há conteúdo dinâmico. Ou seja, todo conteúdo dos sites desta rede, é um punhado de arquivos que rodam no navegador do cliente, assim como qualquer outro arquivo que se faz o download ou upload para a rede.

Através da página inicial, você tem uma lista de sites iniciais e índices globais para iniciar suas pesquisas.

Ao iniciar o uso da rede, há uma questão para responder sobre o tamanho que deseja ter disponível na Freenet, entre 1 e 10 Gb, e dependendo da sua opção, também será o conteúdo que a rede precisa carregar em seu computador para ela ser funcional.

A Freenet no seu modo público ela possui alguns servidores centralizados, mas o seu modo mais seguro é utilizar de forma privada, que pode ser entre computadores confiáveis, vizinhos, etc.

O futuro da Deep Web

Vários serviços que antes eram anônimos, hoje em dia estão sofrendo ataques constantes. Departamentos do governo criam também hidden services no intuito de rastrear os usuários pertencentes à estas redes usando técnicas das mais diversas.

O futuro da rede ainda é incerto, pois o próprio governo investe na criação e desenvolvimento de algumas delas, e eles mesmos estão procurando identificar os usuários que provocam crimes na internet.

Mas de uma coisa é certa: cada dia mais novos e mais novos métodos surgem para continuar a crescente Deep Web, e enquanto existir dispositivos conectados à internet, a Deep Web irá existir de uma forma ou de outra.

Há novos recursos no próprio TOR para aumentar os níveis de segurança dos usuários agora com relay total dos dados, ou seja, TOR passará a trafegar pacotes TCP na íntegra, não só mais requisições de proxy pelos navegadores, abrindo assim a possibilidade de criar sistemas totalmente conectados aos hidden nodes ou hidden gateways.

A nova Deep Web passará a ser uma rede interconectada entre várias redes, para acessar não basta acessar uma rede, mas sim acessar todas, aumentando cada vez mais os túneis de conexão e aumentando cada vez mais seu nível de privacidade online (ou você gosta de ser rastreado e ser perseguido?).

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e curta Tutorial TI no facebook!